"O artista, um contemplativo que passa, atento somente, às manifestações de cor, de harmonia e de beleza, que escapam aos olhos dos outros."
Domingos Rebêlo, num artigo que escreveu sobre os seus tempos de estudante em Paris, in "Açoreano Oriental", 13 de Janeiro de 1946.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Correio dos Açores - Edição de 20 de Setembro de 2017


Ponta Delgada, 18 de Setembro de 2017

Numa incursão pela zona poente da nossa ilha, paro na freguesia das Feteiras. Procuro a igreja e deparo-me com a invulgar localização da sua torre. No entanto, não opto por uma perspetiva na qual a inclua. Sento-me num murete existente no largo à frente da fachada principal da igreja. Daí não vislumbro a referida torre. Faço o rabisco do frontispício do templo e sigo viagem, com a sensação de que o desenho estava vazio. No regresso a Ponta Delgada detenho-me no Miradouro da Vigia, com vista para a costa que Gaspar Frutuoso descreve com harmonia e cuidado. Ainda assim, a página dupla do diário continuava a parecer-me vaga. Esta insatisfação tomou conta do meu desejo de, no dia seguinte, regressar ao local da igreja e aí escolher um ponto onde pudesse abarcar a singular torre da Igreja de Santa Luzia.

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Correio dos Açores - Edição de 13 de Setembro de 2017


Ponta Delgada, 12 de Setembro de 2017

Com estes rabiscos meios desgarrados, apresento o último da nossa incursão pela cidade de Barcelona. Fiz mais alguns e muitos ficaram por fazer. Todavia, os registos que fui realizando ao longo do pequeno período de férias não ficarão, por certo, numa memória que, com o passar do tempo, se tornaria invisível e abstrata. O registo em diário gráfico é, por si só, um avivar de acontecimentos, a catalogação de um período e o fazer perpetuar sentimentos vividos numa determinada época e local. Tal como acontece com as fotografias ou os diários, dirão os leitores. Certamente! O diário gráfico é a expressão das vivências, das emoções e das imagens que retratamos. E os rabiscos destas férias marcam um período de descoberta, encantamento e felicidade!

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Correio dos Açores - Edição de 6 de Setembro de 2017


Ponta Delgada, 5 de Setembro de 2017

Hoje apresento-vos o Tempo Expiatório do Sagrado Coração de Jesus, em Tibidabo. Chegar aqui não é difícil, mas os transportes que temos a apanhar são mais do que eu imaginava. Este templo, erguido no ponto mais alto de Barcelona, Monte Tibidabo, possui uma vista esplendorosa sobre a sua cidade. A rodear o templo existe um parque de diversões, inaugurado, imagine só, em 1899, um dos mais antigos da europa. Nele podemos encontrar em funcionamento algumas das antigas atrações, como o Avião, um dos primeiros simuladores de voo impulsionado pela própria hélice. E claro, também encontramos outras atrações mais modernas, como por exemplo, a montanha russa. 

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Correio dos Açores - Edição de 29 de Agosto de 2017


Ponta Delgada, 29 de Agosto de 2017

A senda por Barcelona ainda não terminou. Hoje apresento-vos aquele que é considerado o mais famoso arquiteto Catalã – Antoni Gaudí. O génio ou o louco, segundo a opinião do seu mestre universitário, que conseguiu culminar as suas paixões, a natureza e a religião, na arquitetura. É o autor de várias obras ilustres, desde a Sagrada Família (ainda inacabada), a Casa Batlló, a Casa Milá e o Park Guell, ícones do turismo de Barcelona.
Desmistificando o suspense que criei na edição anterior, relativamente à Sagrada Família, parafraseio o motivo que Gaudí apresentou para que a torre mais alta deste monumento não ultrapasse o monte Montjuic: “a obra humana jamais deverá ultrapassar a obra do Criador.”

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Correio dos Açores - Edição de 23 de Agosto de 2017


Ponta Delgada, 22 de Agosto de 2017

Continuando a mostrar-vos um pouquinho daquilo que fui observando nas nossas férias, hoje apresento-vos dois rabiscos: o rosto de Alba, fazendo referência ao hotel onde pernoitamos, e a entrada do Castell de Montjuic, um dos tantos pontos turísticos de Barcelona. Do alto deste castelo (a 184 metros) podemos observar toda a cidade e, claro, contemplar mais uma vez o Templo da Sagrada Família. Engraçado é perceber porque razão este Templo, tão repleto de significado, ornamentos e pormenores, não é mais alto (172 metros) do que o Monte, de nome Montjuic. A seu tempo explicar-vos-ei. 

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Correio dos Açores - Edição de 18 de Agosto de 2017



Não foi com este propósito de fazer lembrar Barcelona depois do atentado de ontem, inclusive este rabisco já estava planeado desde a passada quarta-feira. Todavia, e desde já, fica aqui uma singela homenagem aos que sofreram o atentado, bem como à magnífica cidade de BARCELONA

Ponta Delgada, 16 de Agosto de 2017

Chegar a uma cidade, como Barcelona, pela primeira vez, torna-se inquietante querer absorver tudo aquilo que estamos a admirar. Quando tento passar para o diário gráfico o que vou observando, fico como bloqueado. A grandeza, os pormenores, a própria beleza da peça a transpor para o papel e também, se calhar, o tempo disponível, faz com que decida pelo “fazer parecer”. O que hoje vos mostro é a Catedral de Barcelona. A fachada atual é de estilo neogótico. Esta Catedral é dedicada à Santa Cruz (a cruz em que Jesus foi executado) e a Santa Eulália, uma jovem donzela que, de acordo com a tradição católica, foi uma mártir durante a época romana.